Sobre o blog

Este site não é meu! Sou apenas o que pode ser chamado de "administradora do blog".

Este blog está sendo criado para que eu compartilhe as mensagens deixadas por meu avô: ABÍLIO JARDIM DA SILVA falecido em 18.11.1993 (aos sessenta e oito anos) por causa do enfisema pulmonar devido ao cigarro.



Abílio Jardim da Silva foi médium e colaborador do Centro Espírita Dias da Cruz de Passo Fundo (RS).






Inicialmente criei estas páginas para poder colocar seus pensamentos, orações e mensagens, mas agora sinto a necessidade de reciclá-lo. Quero que este blog reflita o significado que este Ser maravilhoso teve na minha vida e daqui para a frente será muito pessoal, pois só assim creio poder tocar cada coração que vier a ler estes escritos. Ele queria que sua vida fizesse a diferença, que tivesse um propósito e "não fosse em vão". Então não vou permitir que este blog seja APENAS de mensagens soltas. Para que faça a diferença preciso revelá-lo aqui; que este espaço possa conter sua energia, seja uma espécie de extenção do que ele foi.


Assim, abro as portas para que vocês entrem e de alguma forma possam receber este tesouro que ele nos deixou como exemplo que foi. Não um exemplo de perfeição, mas de um Humano Guerreiro em busca da Luz.


Espero que os familiares compreendam e respeitem esta necessidade.


De todo meu coração a neta mais agradecida deste mundo:


Luciana Paula da Silva (Pequena Luz da Floresta).

















terça-feira, 30 de abril de 2013

Como acessar o Portal Interdimensional




Como acessei o Portal Interdimensional

Eu gostaria de continuar contando nossa história seguindo a cronologia dos acontecimentos. Só que meus guias querem que eu fale agora de como acessei o Portal Interdimensional; de como acontece as trocas de guias periodicamente quando começamos o trabalho espiritual e dos desafios e dificuldades de um redirecionamento de vida.
           
            Para falar da “abertura do portal interdimensional” que na verdade é um processo que vai se formando quando nos propomos e nos esforçamos para tal, preciso demarcar duas fazes nesse desenvolvimento que os vejo como dois marcos: 2009 e o final de 2012 com a ajuda da minha avó.

            Em 2009 comecei a “colher os frutos” de um estudo e trabalho que eu vinha realizando há três anos (de 2006 a 2009) com os Centros de Energia e a Energia Kundalini. O trabalho de trazer a consciência destes centros para dentro das minhas vivências diárias com pessoas e situações. Isto é, por três anos (mas eu vinha estudando como colocar este conhecimento em prática ha mais tempo) eu identifiquei os centros de energia que estavam mais ativos dentro das situações diárias e intervinha conscientemente para elevar a frequência de minhas vibrações e consciência enquanto cortava com as influências das pessoas sobre meus centros de energia. Neste processo ficavam claro as lições das situações e as trazidas pelas pessoas e ao mesmo tempo eu elevava as frequências inferiores ao compreender as lições e os interamentos e envolvimentos cármicos que se repetem em padrões (padrões repetitivos de atitudes). 
 Centros de Energia Humanos

Assim como vemos os animais e sabemos que eles reagem de determinada forma porque é de seu instinto; assim também nós humanos somos obvies enquanto nos comportamos segundo os padrões de comportamento e de formas de pensar de quem está preso aos centros de energia num padrão básico de desenvolvimento (como está a maior parte da humanidade). Assim, MUITO resumidamente, quem vive dentro do padrão inferior do primeiro centro vivencia a falta de segurança na abundância; a experiência de não estar em contato com o TODO; enquanto é puxado naturalmente para as necessidades puramente “mundanas” como sexo do tipo “atração física” pura e sobrevivência. O segundo centro na forma básica gera a falta de senso que não permite à pessoa saber qual é o seu papel na sociedade ao mesmo tempo em que o indivíduo não sabe expressar emoções e é super-dependente emocionalmente, carente e vampiro de energia emocional (uma sanguessuga emocional). O terceiro centro na sua forma básica prende o indivíduo em busca do poder pelo poder, principalmente se impondo sobre os mais fracos e aqui é onde encontramos a maior parte dos relacionamentos de hoje onde há guerra de dominância sobre o outro usando o que for preciso para manter o controle: sexo, agressividade, dependência financeira, chantagem emocional, etc. O ser humano só escapa destes padrões e deixa de ser um ANIMAL HUMANO quando começa a desenvolver as formas superiores de CONSCIÊNCIA destes centros enquanto mantém o CENTRO CARDÍACO, que é nosso centro de equilíbrio, desenvolvendo o AMOR INCONDICIONAL praticado para si mesmo e para todos (principalmente “inimigos”, que neste caso, passam a ser vistos como peças de Deus para nosso desenvolvimento). Enquanto isso não acontece o ser humano é tão somente o animal humano muito óbvio, porque segue padrões de melodrama e crises que podem ser previstas porque estão dentro deste modelo em que quase todos vivem há séculos. E são os padrões que não nos deixam quebrar com as atitudes que geram carma.
            Foi um trabalho exaustivo, mas nada mais é como antes deste processo porque libera ilusões, dependência e cria CONSCIÊNCIA. Também fica evidente reconhecer em que padrão as pessoas estão envolvidas.
            Não teria conseguido este feito sem a ajuda e estudo SISTEMÁTICO, DIÁRIO dos livros da Zulma Reyo (especialmente Karma e Sexualidade), de Jung e da Kabala. Não teria conseguido se meus guias não estivessem comigo me tirando do corpo e me levando para outras esferas dentro da Árvore da Vida enquanto me mantinha consciente nestas experiências e me instruíssem onde encontrar as respostas das questões que eles deixavam como pegadas que deveria seguir.
            Compreendam que encontrar respostas dá trabalho, pois precisamos fazer a nossa parte e nada nos é dado “de bandeja” e é por isso que sinto PESAR quando vejo o excesso de passividade em muitas pessoas. Elas não vão muito longe deste jeito porque a preguiça e má vontade as limitam. Devem compreender que não adianta dizerem que querem se curar, que querem evoluir, que querem se desenvolver e ficarem de braços cruzados esperando... Por que acham que as pessoas que estão se iluminando são chamadas de TRABALHADORAS da Luz?
            Muito bem, de 2006 a 2009 tive muito estudo (Jung, Kabala, Alquimia) e muito trabalho prático com os Centros de Energia e Psíquicos dentro das situações e experiências diárias tanto na vida pessoal quanto profissional onde precisava ficar 100% presente identificando as tendências para repetir padrões de atitudes. Nesta vivência ficou claro que somos todos mensageiros enquanto também recebemos mensagens dos “mensageiros em nossas vidas”.

CONTINUA em Mestre Kuthumi meu presente.



Nenhum comentário:

Postar um comentário